Saúde

< Voltar

Dicas para ter Mente Saudável

15 hábitos saudáveis para evitar doenças da mente

 

*Dr. Martin Portner

Médico Neurologista e Mestre em Neurociência pela Universidade de Oxford

 

A doença de Alzheimer é uma patologia degenerativa do cérebro que se desenvolve na terceira idade. Sua principal manifestação é a demência em que uma pessoa, no auge do seu desenvolvimento mental, emocional e racional, passar a ter declínio da memória e da organização das ideias. Ao longo dos anos acaba por perder a mais nobre das funções humanas ? o próprio juízo.

No início, ela começa disfarçadamente, com falhas sutis, desculpáveis, da memória. Lentamente se torna mais grave e, por fim, incapacitante. A doença de Alzheimer não é letal e, infelizmente, consome a pessoa lentamente. A morte geralmente resulta de inanição geral, desnutrição e pneumonia. A duração típica clínica da doença é de oito a dez anos, podendo durar até 25 anos.

 

Essa doença ainda é um mistério. Foi descrita pela primeira vez pelo neurologista alemão Alois Alzheimer, em 1906, e mais de cem depois anos depois sua causa ainda é desconhecida. Não há agentes ambientais (por exemplo, vírus, toxinas, metais pesados) que tenham sido provados a estarem diretamente envolvidos na origem da doença. No fundo, pode-se estipular que a doença de Alzheimer é originada na incapacidade de os genes operarem de forma correta as proteínas do organismo ao longo de toda a vida.

 

Infelizmente não existe tratamento capaz de curar essa doença. Mas, listei 15 mudanças no estilo de vida desejáveis para evitar ou postergar a demência e a doença de Alzheimer, todas baseadas em estudos científicos e que podem ser começadas hoje mesmo. Vamos a elas:

 

1. Aprenda um segundo (ou terceiro, ou quarto) idioma. Além da ampliação cultural e de expandir os horizontes culturais, o esforço para acrescentar outro idioma ao seu vocabulário pode retardar o aparecimento da doença de Alzheimer por quatro  anos.

 

2. Beber sucos de frutas e vegetais crus. Beber sucos de frutas e vegetais mais de três vezes por semana reduzem o risco de desenvolver a doença de Alzheimer em 76%.

 

3. Adicione um suplemento de vitamina K em sua dieta. Conhecida como "a vitamina esquecida," a vitamina K desempenha um papel crucial no anti-envelhecimento e pode prevenir a doença de Alzheimer. Como ela não é encontrado na maioria dos multivitamínicos, podemos obtê-la através de vegetais de folhas verdes ou por um suplemento de vitamina K.

 

4. Reduza o stress. A ansiedade crônica está ligada ao desenvolvimento da doença de Alzheimer, especialmente em pessoas que já estão em risco para a doença. Pessoas com comprometimento cognitivo leve e que relataram altos níveis de ansiedade são mais propensas a desenvolver a doença de Alzheimer.

 

5. Comprometa-se com o exercício regular. O exercício preserva o volume da área do cérebro chamada de hipocampo ? uma das primeiras partes do cérebro atacados pela doença de Alzheimer. Boas opções de exercícios, incluem caminhadas, dança, natação, ciclismo e até jardinagem. Um pouco mais de meia hora cerca de três vezes por semana garantirão a melhor do fluxo sanguíneo a todo o cérebro.

 

6. Ria mais. O riso é mais do que bom para a alma. Brincar e dar risadas trazem o cérebro à vida, estimulam o crescimento de novas células cerebrais e, finalmente, mantêm a doença de Alzheimer à distância.

 

7. Coma frutas. Frutas contêm um composto chamado fisetina, cujas propriedades combatem a doença de Alzheimer. Comumente encontrados em morangos e mangas, a fisetina tem propriedades anti-inflamatórias que foram capazes de combater o início da doença de Alzheimer em ratinhos de laboratório.

 

8. Crie um tempo para a meditação. Aquietar a mente pode ser mais importante do que você imagina na prevenção da doença de Alzheimer. Um estudo de 2013 mostrou que as pessoas que realizaram a meditação através da Ioga possuíam menor índice de atrofia cerebral. A meditação parece ter função protetora sobre o cérebro, ajuda as pessoas a combater o estresse e reduz consideravelmente a produção do hormônio cortisol, conhecido por aumentar o risco de desenvolver demência.

 

9. Coma mais peixe. Peixes são ricos em ácidos graxos ômega-3, capazes de controlar a coagulação do sangue, estimular as membranas celulares no cérebro, proteger contra doenças cardíacas e elevar a proteção contra a doença de Alzheimer.

 

10. Pare de fumar. Um relatório de outubro 2014 da Organização Mundial de Saúde revelou que os fumantes têm um risco 45% maior de desenvolver demência do que os não-fumantes. Mais importante ainda, revelou que 14% de todos os casos de demência podem ser atribuídas ao tabagismo.

 

11. Adote uma dieta mediterrânea. A dieta mediterrânea rica em peixe, frango, azeite e outros alimentos ricos em ômega-3, melhora a cognição e diminui o risco do declínio cognitivo.

 

12. Conheça os sintomas precoces da doença de Alzheimer. A detecção precoce é a chave para retardar a progressão da doença. Reconhecer sintomas como esquecer datas-chave, dificuldade para completar as tarefas habituais e mudanças de hábitos de comportamento são pistas importantes.

 

13. Durma melhor. A falta de sono está associada a uma variedade de problemas de saúde, incluindo o estresse e o aumento do cortisol; ambos são fatores de risco para a doença de Alzheimer. Além disso, um sistema de drenagem de resíduos que limpa o cérebro de beta-amiloide é mais ativo enquanto dormimos.

 

14. Limite a ingestão de açúcar. Diabetes está intimamente ligada à doença de Alzheimer. Alguns pesquisadores referem-se à doença de Alzheimer como o diabete tipo 3. Evitar a ingestão de açúcar ? especialmente na forma de carboidratos de ação rápida (como pães, massas e bolos)-- mantém o cérebro mais saudável.

 

15. Faça algo artístico. Aprender a tocar um instrumento musical, ter aulas de pintura em tela, madeira ou tecido, ou pertencer a um grupo de jogo de xadrez ou damas pode fazer toda a diferença. Com o estímulo apropriado, as células cerebrais permanecem ligadas ao mecanismo chamado de plasticidade neuronal, o que faz com que novos neurônios especializados sejam formados.

 

*Dr. Martin Portner é Médico Neurologista , Mestre em Neurociência pela Universidade de Oxford e especialista em Mindfulness. Há mais de 30 anos divide suas habilidades entre atendimentos clínicos e palestras, treinamentos e workshops sobre sabedoria, criatividade e mindfulness. 

Compartilhe: